Dr Leo Henryk Sternbach (1908 – 2005) O Descobridor dos Benzodiazepínicos

Nascido em Opatija, na atual Croácia, Sternbach foi um químico judeu polonês com doutorado em Química Orgânica. Trabalhou para os laboratórios farmacêuticos da Hoffmann-La Roche, na cidade de Basel, Suíça, o que o ajudou a migrar para os Estados Unidos da América em 1941, indo para a cidade de Nutley, Nova Jersey.

Os trabalhos de Sternbach conduziram à descoberta dos Benzodiazepínicos, de onde derivou o Diazepam, até hoje um dos medicamentos considerados essenciais para o tratamento de transtornos mentais e que consta na lista modelo dos medicamentos essenciais da Organização Mundial de Saúde. 1

Na sequência de seu espetacular e histórico trabalho (considerado um legado para a humanidade – o que lhe garantiu uma posição perpétua na Câmara dos Inventores Famosos dos Estados Unidos - The National Inventors Hall of Fame) Leo Henryk Sternbach desenvolveu os seguintes benzodiazepínicos, na seguinte sequência: Clordiazepóxido (Librium®); Diazepam (Valium®); Flurazepam (Dalmane®); Nitrazepam (Mogadon®) e o Clonazepam (Klonopin®), este último amplamente conhecido no Brasil com sua marca patente Rivotril®.

O Clordiazepóxido foi desenvolvido por Sternbach no ano de 1956 e aprovado para uso em 1960. Em 1963 Sternbach apresentou uma nova versão de seu composto, desta vez mais aperfeiçoado, o Diazepam, e que logo se tornaria um dos medicamentos mais utilizados no mundo inteiro, e isto até hoje. Entre 1969 e 1982, o Diazepam foi o medicamento mais prescrito nos Estados Unidos, com um pico de venda de 2.3 bilhões de unidades no ano de 1978.

Com uma inteligência privilegiadíssima, Leo Henryk Sternbach registrou 241 patentes e foi graças a ele que os Laboratórios Roche se transformaram em uma gigantesca indústria de medicamentos multinacional. Sternbach nunca chegou a se tornar rico, porém abraçou a Química com grande paixão e sua frase “Eu sempre fiz exatamente aquilo o que eu queria fazer” ajudou a cunhar o famoso dito “O importante no trabalho é fazer aquilo que se gosta”. Sua satisfação com seu trabalho era tamanha que trabalhou até os 95 anos de idade nunca deixando de frequentar seu local de trabalho.

Em 2004 foi publicado o livro Good chemistry: The life and legacy of valium inventor Leo Sternbach (Boa Química: A vida e o legado do inventor do Valium, Leo Henryk Sternbach). O Dr Sternbach faleceu em Chapel Hill, Carolina do Norte, em 2005, aos 97 anos.

1. "WHO Model List of Essential Medicines" World Health Organization. March 2005.